Domingo, 12 de Setembro de 2010
A ler

A Irene Pimentel, mais uma vez (qualquer dia crio uma etiqueta com o nome dela).

Neste post, a Irene faz a gentileza de inserir afirmações num contexto histórico e factual e não inventa comparações descontextualizadas e extemporâneas. Estou sempre a aprender com a Irene. Note-se, também, a questão que coloca inicialmente no que diz respeito ao formato entrevista para um historiador, feito nos termos em que o foi. Isto é muito relevante. Valorizar uma afirmação nesse contexto como uma coisa escabrosa é, no mínimo, pateta, para todos os lados. Haverá certamente um livro que justifique o que o autor disse. Algo que tenha que ver com o contexto histórico aqui narrado pela Irene Pimentel. Mas alguém leu a biografia? Por que é que se está a entrar nesta vaga de tratar a entrevista como se fosse a biografia em si mesma?

Já agora, eu também podia colocar a questão como "Salazar fascista?". A seguir tinha de ir perguntar a historiadores como o Prof. Rosas que disparate era esse. Tanto preciosismo político para umas coisas e para outras nicles batatóides. Vai ficar tudo bem.


tags:

publicado por jorge c. às 10:32
link do post | comentar | partilhar

Um blog de:
Jorge Lopes de Carvalho mauscostumes@gmail.com
pesquisa
 
arquivos

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

tags

todas as tags

blogs SAPO
visitas
subscrever feeds