Sábado, 16 de Outubro de 2010
Um pedido

Tenho esta dúvida que não me sai da cabeça. Se o Governo reconhece uma crise e se conhece as pressões orçamentais da Europa, por que razão - expliquem-me, por favor - insistiu num positivismo que, a avaliar por este orçamento, não fazia qualquer sentido? É uma questão simples. Se me puderem esclarecer, aqueles que têm estado do lado do Governo, eu agradecia. Há aqui uma caixa de comentários... sintam-se à vontade.



publicado por jorge c. às 13:51
link do post | comentar | partilhar

2 comentários:
De NanBanJin a 16 de Outubro de 2010 às 15:19
Porque queriam "parecer bem". E Portugal é aquele país onde tudo "parece mal". "Ai...parece mal" e tal...


De NanBanJin a 16 de Outubro de 2010 às 15:50
Agora a falar a sério:
A questão é que a questão propriamente dita não está no famoso défice, isto é na dívida: a questão está em como pagá-la, ou seja a questão está nos meios — que pur'e simplesmente NÃO existem. Numa frase: a questão está na receita.
E essa, eles sabem que não podem recompor.
É uma verdade cruel demais para ser dita alto e bom som.

Portugal, país onde só no espaço de um ano, foram encerradas mais de 300 unidades industriais só na região norte, é um país desindustrializado, desempregado, sentenciado a uma lenta e agonizante morte.
A questão não está no défice, isto é, na dívida.
Está, isso sim, em como sustenta-la, em como geri-la.
É um problema (insolúvel) de crédito (que está cada vez mais difícil de obter, porque os credores não vêm quaisquer garantias no horizonte).
Só um país que disponha, hoje, de activos económicos verdadeiramente sólidos — uma produção de riqueza regular e sustentável — pode oferecer garantias reais aos seus credores.
O exemplo — inevitavelmente o melhor e o pior — que, a título (absurdamente) comparativo, me ocorre, é o do país que me acolhe: de longe o pior défice orçamental do Mundo! — 215% do respectivo P.I.B. — isto são, no caso, e para que possamos avaliar bem a extensão da coisa, cerca de 17 a 20 "Grécias" completamente escalpeadas— Eu sei... é qualquer coisa de difícil, muito difícil de conceber. Pior mesmo só o do Zimbabwe [365%] mas esse por motivos óbvios não pertence a este campeonato.
O nosso é de quanto?...

E porque não se fala, pergunto eu, do pior défice orçamental do Mundo que é precisamente o da 2ª maior economia mundial? Porque não surge o mesmo com maior regularidade nos noticiários? Porque se limita o mesmo a figurar em fugazes notas de rodapé num Bloomberg ou num Financial Times de (largos) tempos a tempos?
Porque é que ninguém chateia esta gente???

Simplesmente porque a economia em causa dispõe de recursos suficientemente capazes de tranquilizar "mercados", 'agências de rating', banca internacional, FMI, Banco Mundial, etc., etc.
É uma questão de capacidade de gerar receita que corresponda às reais necessidades de financiamento do país — estado social, funcionamento do aparelho de estado, manutenção do 'status quo'.

E em última análise é algo que só pode ser acautelado em condições de plena soberania. Coisa que, no que respeita a Portugal, há muito se perdeu e parece perdido de vez.

Meus melhores e amigáveis cumprimentos,
do Japão,

Luís F. Afonso, NBJ


Comentar post

Um blog de:
Jorge Lopes de Carvalho mauscostumes@gmail.com
pesquisa
 
arquivos

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

tags

todas as tags

blogs SAPO
visitas
subscrever feeds