Terça-feira, 13 de Abril de 2010
Um mito

Vou considerar que é apenas falta de conhecimento político, uma certa ignorância, e abdicar da ideia de má-fé que tenta tomar conta do meu discernimento em relação ao mito de que a instabilidade dentro do PSD se deveu à não inclusão de adversários de Ferreira Leite nas listas para deputados.

Em primeiro lugar, e para não perder mais tempo com falhas de memória, é preciso não esquecer que Manuela Ferreira Leite foi eleita presidente do PSD há quase dois anos. Nessa altura, o seu principal adversário - Pedro Passos Coelho - não aceitou muito bem a derrota e continuou a fazer de conta que estava em campanha contra a líder do partido (ah, a unidade, a unidade), entrando num jogo de conferências e entrevistas programadas pelo seu gabinete de comunicação que pelos vistos se relacionava muito bem com o jornalista Francisco Almeida Leite do Diário de Notícias (que poderão também ler aqui) e com o líder da distrital do Porto do PSD, Marco António Costa, que é agora (surprise!) vice-presidente do partido.

Em segundo lugar, talvez não fosse de ignorar que MFL sabia, como toda a gente sabia, que era muito difícil vencer eleições contra José Sócrates numa altura em que se criou um certo entricheiramento da sociedade - os que apoiam Sócrates e os que não apoiam. Logo, é natural que, em caso de ganhar eleições, o PSD estaria representado na AR por uma maioria relativa e que, como tal, era de esperar que a bancada estivesse com a líder do partido e não contra. Seria portanto lógico que MFL chamasse a si aqueles em que depositava mais confiança política e não a criatura que lhe andou a minar o terreno durante dois anos sem parar.

O que temos aqui é uma falácia, um resultado falso na soma de um conjunto de factos que continua a contribuir para a necessidade de fulanização de que Passos Coelho tanto precisa para derrotar Sócrates. Isto não é política, é um jogo de vaidades pessoais.

Há quem goste de ser enganado. Eu não faço muita questão.



publicado por jorge c. às 12:23
link do post | comentar | partilhar

2 comentários:
De jg a 13 de Abril de 2010 às 19:38
Olhe, pareceu-me mais um "misto" do que o nominado "mito".


De Pedro Correia a 18 de Abril de 2010 às 14:32
Meu caro, no post imediatamente anterior a este você escrevia umas linhas sábias, que subscrevo sem reticências. "Estamos a viver, e é cada vez mais evidente, um tempo onde não se discutem princípios mas sim pessoas (singulares ou colectivas). A fulanização da crítica é uma realidade demasiado perturbante para a podermos ignorar", sublinhava. Lamentavelmente, neste post cai no erro que denunciava atrás. Todo o seu texto assenta em críticas fulanizadas, a vários níveis.


Comentar post

Um blog de:
Jorge Lopes de Carvalho mauscostumes@gmail.com
pesquisa
 
arquivos

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

tags

todas as tags

blogs SAPO
visitas
subscrever feeds