Terça-feira, 27 de Abril de 2010
As pessoas que barafustam

As pessoas que barafustam não são uma massa uniforme. Pode haver pessoas que barafustam sem motivos, o que acontece inúmeras vezes, e pode outrossim haver quem barafuste com razão, por colisão de interesses ou, no limite, de direitos.

Porém, a Shyznogud acha que as pessoas barafustam porque não estão tão atentas quanto ela. O problema desta vez é que a Shyznogud ou não leu a notícia toda ou então não estava muito atenta ao pormenor de, a partir de agora, as ambulâncias passarem a pagar estacionamento no IPO de Lisboa.

No IPO do Porto paga-se estacionamento. Se não estou em erro sempre se pagou. Não é isso que me perturba a mim nem às pessoas que barafustaram com esta notícia que especificava o caso concreto das ambulâncias. É que não parece ser lógico que um instrumento de serviço público passe a pagar estacionamento num instituto público, seja meia, uma ou duas horas depois. O princípio está, à partida, errado. Se o Estado providencia um serviço que serve como meio de transporte para outro serviço seu, então está a pagar o quê? Isto para não falar nas corporações de bombeiros que, com cada vez menos meios, ainda terão de desembolsar para fazerem este tipo de serviço.

Se calhar até pode parecer palermice minha, mas a lógica parece ser outra.



publicado por jorge c. às 13:57
link do post | partilhar

De Shyznogud a 27 de Abril de 2010 às 14:18
és capaz de fazer o favor de me explicar porq raio hão-de as ambulâncias permanecer num parque de estacionamento com espaço limitado depois de terem deixado o doente? Não sei se sabes q qdo é hora de o voltarem a ir buscar são avisadas. Ora, como se lê na notícia, a primeira meia-hora não se paga, o q lhes permite irem depositar o doente de forma grátis, depois saem e estacionam nas redondezas e, mais tarde, vão buscar o doente, não pagando tb. (mais meia-hora grátis). Ou seja, bullshit!


De jorge c. a 27 de Abril de 2010 às 14:29
Não interessa se é meia-hora ou 4 horas. O princípio está errado à partida. Deve haver regras, concordo, até porque as ambulâncias particulares não seguem os mesmos propósitos (tecnicamente). Mas o pagamento não só não faz qualquer sentido como está errado por se tratar de um serviço público da mesma natureza. É lógico para os particulares (pessoas que lá vão de visita ou até mesmo levar doentes), mas não para uma ambulância que está a prestar um serviço. Que haja regras, que haja multas, de acordo. Pagamento obrigatório não.


De Shyznogud a 27 de Abril de 2010 às 14:43
Vais desculpar-me, jorge, mas o serviço que a ambulância presta não é pago, porque descarregar e carregar doentes faz-se em menos - muito menos - de meia-hora. Obviamente q uma ambulância em serviço de urgência não tira ticket à entrada (de qqr forma as ambulâncias de q se fala são as q trasportam doentes para tratamentos e consultas, ficando, depois, horas à espera para o regresso).


De jorge c. a 27 de Abril de 2010 às 14:45
É passível de ser pago. E esse princípio, esse precedente aliás, não faz sentido.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




Um blog de:
Jorge Lopes de Carvalho mauscostumes@gmail.com
pesquisa
 
arquivos

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

tags

todas as tags

blogs SAPO
visitas
subscrever feeds