Sábado, 11 de Setembro de 2010
O dogma do anti-dogma

Quando fiz este post sobre a biografia de Salazar já contava com este tipo de reacções (à biografia, não ao post, par Deus). Não sei se a Fernanda já teve oportunidade de ler a biografia feita por Filipe Ribeiro Menezes, mas quase que aposto que isso é indiferente. Para a Fernanda parece bastar a sua vontade histórica.

O romantismo de Delgado, aquela ideia sonhadora do General sem medo pelas ruas do Porto, não passa disso mesmo - romantismo. Eu respeito isso. Mas parece que para uma certa mentalidade é mais fácil continuar a romantizar do que ouvir o que se tem a dizer sobre o tema, dar pelo menos uma oportunidade a quem o estudou. Como diz e bem o João Miranda sobre o mesmo assunto: "Eu não sei se Salazar era um “democrata-cristão convicto”, mas quem passou 7 anos a estudar Salazar não fui eu, foi o Filipe Ribeiro Menezes. Para se manter um nível adequado ao debate intelectual talvez seja melhor perguntar-lhe porque é que ele pensa assim. Ou então ler o livro."

A esquerda portuguesa tem muitos dogmas para resolver.



publicado por jorge c. às 12:44
link do post | comentar | ver comentários (13) | partilhar


Um blog de:
Jorge Lopes de Carvalho mauscostumes@gmail.com
pesquisa
 
arquivos

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

tags

todas as tags

blogs SAPO
visitas
subscrever feeds